A maioria dos empresários acredita que ajuste fiscal tem impacto negativo

De acordo com pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas, os empresários brasileiros não receberam bem a notícia do ajuste fiscal e cortes orçamentários. 75% dos entrevistados acreditam que isso pode ter um impacto negativo na economia, enquanto 74% afirmam que faturamento das empresas irá cair com o aumento de impostos.

61,4% acreditam que as medidas são um retrocesso para o país e que isso pode aumentar os problemas, retardando a volta do crescimento. Três em cada quatro empresários acreditam que as vendas de sua empresa irão diminuir por causa do ajuste fiscal.

A pesquisa também aponta que 66% dos entrevistados pretendem manter os empregos em suas empresas, apesar da diminuição de vendas (citado por 73%) e, consequentemente, do crescimento da empresa (54,6%).

Ainda, 74% dos empresários disseram que o acesso ao crédito está mais caro e há uma alta de juros. 51% dizem que, apesar de ser importante para o crescimento dos negócios, contratar empréstimos não é viável no momento, já que a economia não está favorável para isso.

O presidente da CNDL, Honório Pinheiro, acredita que os empresários não estão recebendo bem o ajuste fiscal porque esperam resultados e benefícios em curto prazo, mas essas medidas serão importantes a um prazo mais longo.

“É inegável que os ajustes e cortes terão efeitos de retração econômica no curto prazo, e que certamente serão sentidos pelos empresários e pela população. Mas por outro lado, essas medidas servem para arrumar a situação da economia e são importantes para que a retomada do crescimento aconteça de maneira sustentável no médio e longo prazo”, explica Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil.

Fonte: G1